sexta-feira, 30 de março de 2012

postheadericon Apistogramma Viejita




  • Apistogramma Viejita 
  • Nome Popular: Apistograma Viejita
  • Família: Cichlidae
  • Distribuição: Originário da América do Sul, localiza-se com mais frequência no rio Orinoco e rio Meta, Colombia.
  • pH: 5.5 – 7.0 temperatura: 24º – 28ºC
  • Tamanho adulto: Machos geralmente cerca de 6 cm e a fêmea em torno de 3,5 cm a 4 cm
  • Sociabilidade: Ligeiramente tímido, assim como outros apistogrammas tende a ser territorialista com membros da mesma espécie principalmente na época de reprodução, podendo ser mantido com peixes pacíficos de outras espécies sem problemas desde que o aquário seja compatível e bem plantado contendo vários refúgios.
  • Manutenção: fácil
  • Zona do aquário: fundo
  • Aquário mínimo: 60 litros 
  • Alimentação: Aceitam rações em flocos e granuladas porém é fundamental oferecer alimentos vivos tais como artêmias, larvas do besouro do amendoim, enquitreias entre outros.
  • Características: Os machos caracterizam-se por serem mais robustos e apresentarem cores mais vivas e definidas, que podem variar entre azul metalizado, laranja e vermelho. As fêmeas são menores, tem uma coloração menos vistosa com um tom amarelado e com 3 listas de manchas negras ao longo do corpo.
  • Reprodução: Ovíparo, igualmente a outros apistogrammas, os ovos são depositados em folhas de plantas ou esconderijos entre as pedras ou troncos, a fêmea fica de guarda aos ovos e posteriormente ás crias e o macho fica encarregado de expulsar os intrusos do seu território. De um modo geral a fêmea não deixa o macho aproximar-se dos ovos. Para incentivar a reprodução é altamente recomendável fornecer alimentos vivos.
            Comentários adicionais: Muito se especula sobre este pequeno, mas controverso, peixe. Muitos afirmam que praticamente todos os espécimes encontrados para compra não serão, indivíduos ‘originais’, mas sim híbridos. Especula-se que entre as décadas de 70 e 80 muita espécies importadas, das zonas geográficas descritas anteriormente, foram misturadas o que permitiu tal hibridação. Afirma-se que o que apelidamos de Ap. Viejita Fab form II será, de facto, o Apistogramma Sp. ‘Redspots/Rotflecken’ e ainda o Apistogramma sp. ‘Schwarzkehl/Blackthroat’ para Ap. Viejita fab form III. Muitos parecem também tender discordar com este tipo de constatações, afirmando que a morfologia das espécies é demasiado diferente, e que isso não é verificado nos espécimes que possuímos, tratando-se estes de apuramentos selectivos de cor como é feito em muitas outras espécies (cores estas que serão apuradas a partir dos espécimes selvagens, os quais parecem diferir de tipo de coloração segundo as zonas geográficas onde habitam); afirma-se ainda que as espécies híbridas não conseguiriam reproduções estáveis como apresentado em aquários pelas espécies referidas. É referido também que existe sim uma grande semelhança entre o Ap. Viejita e o Ap. Macmasteri mas que estes podem ser diferenciados devido a sua morfologia, nomeadamente, os primeiros raios da barbatana dorsal do Viejita tem uma coloração negra; outra característica que diferencia as espécies é em relação a uma pequena mancha junto a barbatana caudal que no caso do Viejita costuma ser menor e mais arredondada, sendo esta característica menos evidente. http://www.aquariofilia.net/forum/ 
              Ficha Escrita por: Luciano Cavalcante 
              Fontes de pesquisa: 
                Fotos: 

              1 comentários:

              Francisco Junior. disse...

              Alguem sabe onde posso encontra-los a venda ???

              Google Translator

              Perfil

              Seguidores

              Total de visualizações

              Contador de Visitas

              Luciano Cavalcante. Tecnologia do Blogger.